IRPF – Juros de mora decorrentes de indenizações trabalhistas

Imposto De Renda Juros - Contabilidade em Brasília | Vértice Contadores e Associados S/S Ltda.

Compartilhe nas redes!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Em tempo de Declaração de Imposto de renda é importante estar atento não só às normas disciplinadoras, como também ao entendimento que vem sendo consolidado no âmbito do Judiciário, a fim de evitar autuações e, ainda que isto ocorra possuir elementos de defesa.

Em setembro de 2011, o Superior Tribunal de Justiça (STJ), ao julgar recurso repetitivo (cuja decisão serve de orientação para os demais tribunais do país) sobre a incidência ou não do Imposto de renda (IR) nos juros de mora aplicados para compensar o atraso no pagamento de dívidas trabalhistas (oriundas de condenação judicial), havia definido que não incidiria o tributo, independentemente de a verba principal ser tributada ou não.

No entanto, em março de 2012, a Corte pronunciou-se de forma inovadora e restritiva a respeito do tema. Pois a recente decisão estabelece que a não incidência do Imposto de renda vale apenas paraos juros de mora em verbas trabalhistas que tenham caráter indenizatório, como abono de férias, aviso prévio e multa sobre o FGTS.

O julgamento foi resultado de um recurso da Fazenda Nacional em um novoprocesso sobre o tema. Aintenção era deixar clara a legalidade ou não da cobrança do imposto sobre juros de mora nessas ações trabalhistas, já que quando do julgamento em setembro passado, não foi delimitado a natureza da discussão – seindenizatórias ou remuneratórias.
De acordo com o tribunal superior, a não incidência do Imposto de renda sobre os juros de mora se aplicaria às verbas trabalhistas indenizatórias porque os recursos a serem pagos ao contribuinte nesses casos não representariam um acréscimo patrimonial, mas uma reparação pela demora no pagamento da dívida.

Assim, é importante que aqueles contribuintes que estejam preparando suas declarações de pessoa física e tenham recebidos juros decorrentes dedecisões trabalhistas que procurem classificar corretamente que tipo de juros recebidos (indenizatórios ou remuneratórios) uma vez que a jurisprudência somente considera como não tributável os juros indenizatórios. A falta desde cuidado poderá levar a declaração do contribuinte a cair na malha fina da Receita Federal do Brasil.

Se você precisa de serviço relacionado ao artigo ou necessita de maiores informações sobre o assunto, conte conosco, da Vértice Contadores.

Temos o preparo necessário para te ajudar – tanto a se manter em conformidade legal, quanto a melhorar seus resultados a partir das nossas soluções relacionadas a tais aspectos:

  • Contabilidade Geral;
  • BPO Financeiro;
  • Contabilidade Consultiva;
  • Legalização e Processos.

Entre em contato conosco utilizando as informações disponibilizadas em nosso website, caso você prefira, você pode utilizar a ferramenta de chat do WhatsApp, ela fica localizada no canto inferior direito de sua tela.

Será um prazer conversar com você. Até logo!

PRESSIONE AQUI AGORA MESMO E FALE JÁ CONOSCO PARA MAIS INFORMAÇÕES!

Fique por dentro de tudo e não perca nada!

Preencha seu e-mail e receba na integra os próximos posts e conteúdos!

Compartilhe nas redes:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn
Veja também

Posts Relacionados

Você está a um passo de revolucionar a gestão da sua empresa

Com o nosso apoio, administrar o seu negócio será muito mais fácil: todas as soluções que seu empreendimento precisa em um só lugar.

Recomendado só para você
Os contribuintes pessoa física podem acessar agora o extrato do…
Cresta Posts Box by CP
Back To Top
Open chat